Monthly Archives: July 2014

Finlândia

.

Suomi ou Finlândia.

O motivo que me levou para a Finlândia foi encontrar pessoalmente um amigo com quem eu mantinha contato pela internet há mais de uma década. Fui para lá no final de abril de 2011 e consegui aproveitar um pouco de frio. No norte, ainda havia neve e lagos congelados.

Lapônia

Alugamos uma cabana em Kittilä, a 150 km do Círculo Polar Ártico. A cidade é tranquila, como todas por ali, e fica próxima a uma estação de esqui.

Os planos para o fim de semana eram cross-country esqui, snowboard e sauna. Achei o esqui meio sem graça, mas acho que foi mais a falta de jeito. Mesmo sendo meio (ou muito) descoordenada, gostei do snowboard. Caí e levantei muitas vezes e, no dia seguinte, sentia o corpo todo dolorido. Ainda assim, foi uma pena não ter tempo para praticar mais.

Voltando para Tornio, passamos em Rovaniemi, cidade por onde passa o Círculo Polar Ártico e onde fica a terra do Papai Noel. Como esperado, o local é bastante turístico, com lojinhas de souvenirs, o correio do Noel e, o principal, o encontro com o “bom velhinho”.

Comentei com o Teemu que achei a decoração da sala de espera meio macabra e ele disse que combinava com uma das lendas do Papai Noel. Só fui entender o que ele quis dizer quando assisti ao filme Rare Exports.

Suomi

Quatro nacionalidades em uma foto: finlandesa, polonesa, coreana e brasileira.

A “visita” foi rápida. O velhinho perguntou de onde somos e disse algumas palavras no idioma materno de cada um. Depois, tiramos uma foto, que foi disponibilizada para compra na lojinha.

Uma amiga do Teemu trabalhava num bar ali perto e disse que, em alguns happy hours, o lugar ficava cheio de velhinhos de longas barbas brancas, que iam beber algo depois de encerrado o expediente.

Passamos um dia em Tornio, na casa dos pais do Teemu. A cidade faz fronteira com a Suécia e fomos até lá fazer compras num supermercado.

A sauna é uma paixão nacional e quase toda casa tem uma. Para deixar a sauna mais quente, eles têm o jeito correto de arrumar as pedras que ficam sobre a fornalha e ficam jogando água para produzir vapor. Quando o calor fica insuportável, eles vão para o lado de fora “se refrescar”. É comum entrarem num lago ou, durante o inverno, rolarem na neve.

Na Finlândia, a família toda vai para a sauna e todo mundo fica pelado. Uma amiga polonesa que morou por anos lá disse que achou isso muito estranho no começo, mas depois se acostumou. Como eu não tive tempo para me acostumar, fiz sauna acompanhada apenas da mãe do Teemu.

Em viagens, nunca podemos nos deixar levar pelos clichês. Sempre ouvi que os finlandeses eram frios, mas a recepção que tive foi bastante calorosa. A mãe do Teemu me recebeu com um abraço apertado, o pai dele jogou cartas comigo e a avó me convidou para jogar bingo, disse que faria uma almofada para sauna para mim e ainda quis tirar uma foto comigo. Fofos!

Helsinki

O fim de semana acabou e fomos para Helsinki. Por coincidência, Madball e Comeback Kid tocaram naquela semana na capital finlandesa. Foi bem legal encontrá-los, pois, além de serem bandas das quais eu gosto, já tinha tido contato com eles no Brasil e conversamos um pouco depois dos shows.

O pessoal da Lapônia brinca que “Hel-sinki” é um inferno até no nome, mas, para quem mora em São Paulo, a cidade é pequena e calma. Nos meus deslocamentos, usei o transporte público eficiente e pedalei todos os dias. Apesar das diferenças, fazer os deslocamentos de bicicleta acabou sendo um incentivo para eu começar a pedalar em São Paulo também.

Acompanhei um dos feriados mais celebrados na Finlândia, o Vappu. A data é 1º de maio, então, achei que tinha relação com o Dia do Trabalho. Porém, descobri depois que as festividades começaram com base no folclore alemão de Walpurgisnacht, que é a noite em que as bruxas se reúnem no Pico Brocken, nas montanhas Harz.

Os festejos começam na noite de 30 abril e a principal atividade é beber. O povo exagera e é comum ver pessoas passando mal ou já desmaiadas nos parques e ruas da cidade.

Suomi

Tango finlandês.

No entanto e ainda bem, as celebrações também incluem música e dança. Assisti a um show da versão finlandesa de tango de uma banda cheia de charme e me diverti muito vendo os casais dançarem.

Suomenlinna

Construída sobre seis ilhas, Suomenlinna é uma fortaleza no mar. Originalmente chamada Sveaborg, em sueco, e Viapori, em finlandês, ela foi erguida em 1748 pela Suécia para proteger o território dos russos. Porém, em 1808, ela foi sitiada e tomada pelas forças russas. Em 1918, um ano após a independência da Finlândia, a fortaleza foi requisitada pelo governo finlandês e passou a se chamar Suomenlinna, que significa castelo da Finlândia.

Para chegar lá, é preciso pegar uma balsa e a viagem dura cerca de 20 minutos. Quando fui, deixei a bicicleta num paraciclo no porto e, quase chegando ao destino, lembrei que tinha deixado alguns itens na cestinha. Voltei para buscar a sacola e ela ainda estava lá.

De volta às ilhas, fui andando a esmo. Ao contrário do que imaginava, há moradores em Suomenlinna e descobri isso quando vi alguns brinquedos no quintal de uma casa. Cerca de 800 pessoas moram ali.

.

Vila dos hobbits?

Numa parte de Suomenlinna, há diversos bunkers e, embora as portas de entrada não sejam redondas, lembrei das tocas dos hobbits, que aparecem na trilogia O Senhor dos Anéis.

Foi uma viagem curta, mas muito bem aproveitada. Fiquei com vontade de ir para lá no verão para nadar nos milhares de lagos espalhados pelo país e também de encarar um inverno finlandês para rolar na neve depois da sauna e ir ainda mais para o norte atrás da aurora boreal. Espero voltar!

Advertisements

Pico do Lopo

Pico do Lopo

Pedra do Cume vista da Pedra das Flores.

Aproveitando que o Pico do Lopo fica em Extrema-MG, a apenas 110km de São Paulo, decidimos fazer um bate-volta no último domingo.

Pico do Lopo

Céu azulzinho.

Ao pesquisar informações sobre o lugar, descobri que, embora Pico do Lopo seja o nome mais conhecido, o local é chamado também de Pedra do Cume.

Pico do Lopo

Represa de Joanópolis secando. :(

O tempo estava bom, a trilha foi tranquila e nossa manhã rendeu. Saímos de São Paulo, fizemos a trilha (cerca de 8km ida e volta) e aproveitamos para almoçar em Joanópolis.

Mais fotos.